quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Juízo Final


Ecoam barulhos do céu
No meio da escuridão,
O sangue pingando das nuvens
Declara a devastação,
Inicia se uma guerra
Abre se a terra
Engolindo o perdão.

Sepultando queimados
Os sonhos mais ardentes,
Dos pecadores alados
E das almas descrentes.
O olhar enfurece
O espírito aquece
Com raios incandescentes.

Que estão chegando para expulsar
Obrigando todos a saírem do caminho,
Até donos de impérios
Que se embriagam com vinhos,
Pobres com sorte
E jurados de morte
Escondem-se em seus ninhos.

Mas tudo é em vão
O vento ensurdecedor,
Arrasta sentinelas
E o hálito maléfico com pavor,
Apaga todas as velas.
Não há mais tempo para orar
Tudo irá se acabar
Até as pinturas mais belas.

Bocejando agonia
E lagrimas a derramar
Tudo vai embora,
Profanos, leigos e leais.
Os demônios encarnados
Concebidos em pecado
Por prazeres bestiais.

Deixam o cosmo
Agora desabitado,
O nódulo é desfeito
O câncer é curado,
No final
Todo mundo é igual
Pois o corpo é emprestado.

E antes que seja tarde
Cauterize a ferida lânguida
Que contamina os filhos
Que o céu está cobrindo,
E o inferno está comendo
Mas o mundo está dormindo?
Não...
O mundo está morrendo!

By - Juliana Bizarria

2 comentários:

Nina H disse...

"No final
Todo mundo é igual
Pois o corpo é emprestado."

Sem comentários.

ancermo disse...

Do pó nois veio e pro pó nois vaiii,e a unica certeza da vida é nascer e morrer,a quem nasce para vida e outros para morte,um ser superior a tudo escolhe e determina o dia e a hora do nascer e de morrer,não é facil acreditar e nem entender muito menos suportar,somente se acredita e entende tudo e qual é a verdade da vida no final....